Desenvolvido dentro da ideologia “clean label” (em tradução livre “rótulo limpo”) é um produto sem conservantes, sem derivados animais e livre de glúten. Priorizando o uso de ingredientes simples e naturais.
(41) 3081-8662
contato@naodequeijo.com.br

Segurança dos alimentos: não basta ser saboroso, alimentos precisam ter qualidade.

Foi-se o tempo em que as empresas se atinham somente ao sabor do alimento quando iam a um restaurante, supermercado, açougue ou qualquer empresa responsável pelo segmento de alimentação.

Hoje o consumidor aumentou significativamente sua preocupação com os alimentos consumidos por ele mesmo. Um dos motivos das pessoas se aterem tanto ao assunto de segurança alimentar emerge dos escândalos mundiais envolvendo o tema. Um exemplo catastrófico, que chocou o mundo no ano de 2008, foi a comercialização de leite em pó com altos índices de melamina – produto químico usado na indústria do plástico e na fabricação de cola ou resina – para alimentação de bebês na China. Na época, registraram-se danos à saúde de aproximadamente 53.000 crianças causados pelo consumo do leite.

O que significa a expressão “qualidade em produtos e serviços alimentícios”?

A expressão em questão está associada a alguns critérios:

  • aspectos dos alimentos, diz respeito à sua composição nutricional;
  • segurança, ou seja, condições sanitárias e higiênicas;
  • serviço, isto está relacionado à conexão entre cliente e fornecedor.

E aí que se faz importante e fundamental para a saúde de nós consumidores, a segurança dos alimentos. Este é o termo usado para se referir à prática de medidas que permitam o controle da entrada de qualquer agente que promova risco à saúde ou integridade física do consumidor. Portanto, ela é consequência do controle de todas as etapas da cadeia produtiva, desde o campo até a mesa do consumidor.

A preocupação com a segurança de alimentos é uma estratégia de permanência no mercado e uma demanda do consumidor. Precisamos estar atentos as marcas que consumimos e visar consumir cobrar as marcas e pontos de vendas que frequentamos a estabelecerem políticas claras, a fim de trazer segurança no momento que adquirimos um alimento. Quando cobramos, destacamos que é um onto crucial para o consumo e que temos a preocupação com a garantia da produção de alimentos que sejam seguros à saúde e que mantenham a satisfação dos consumidores.

Os empresários do setor alimentício devem sempre estar atentos ao aumento da qualidade tanto de seu produto final, como de todo o seu processo produtivo.

Oferecer um produto ou serviço alimentar de qualidade envolve alguns desafios. Como o gestor de um negócio pode superá-los? Através de boas práticas de gestão! As normas estabelecidas por ISO e Anvisa auxiliam gestores do ramo de alimentos, independentemente do tipo de empresa, a oferecer produtos e serviços alimentícios de qualidade. Isto se da através de requisitos, como monitoramento da produção e o conceito de rastreabilidade, este último, significando o controle de “tudo que entra e sai da empresa”, podendo ser matéria-prima da produção, bem como o produto acabado e entregue ao consumidor final.

Fonte: certificacaoiso.com.br  / Revista de Nutrição

Post a Comment