Desenvolvido dentro da ideologia “clean label” (em tradução livre “rótulo limpo”) é um produto sem conservantes, sem derivados animais e livre de glúten. Priorizando o uso de ingredientes simples e naturais.
(41) 3081-8662
contato@naodequeijo.com.br

Estudam indicam que Veganismo auxilia na diminuição do impacto ambiental.

Alguns países estão estudando como fazer para amenizar os efeitos do impacto ambiental no planeta e como tratar a quantidade de plásticos que são lançados no meio ambiente todos os dias. Um estudo publicado recentemente pelo The Guardian, mostrou que uma das melhores formas para diminuir o impacto ambiental no mundo é se tornando vegano. Segundo o estudo, tornar-se um vegano é uma forma para amenizar alguns dos problemas ambientais que enfrentamos hoje.

Um cientista da Universidade de Oxford liderou o estudo e afirmou que uma dieta vegana é uma das poucas maneiras imediatas para reduzir o seu impacto no planeta Terra, não apenas gases de efeito estufa, mas a acidificação global, eutrofização, uso da terra e da água. Segundo Joseph Poore, o impacto será muito maior do que cortar seus voos ou comprar um carro elétrico, como muitos estão propondo ultimamente.

“Dietas livres de produtos animais proporcionam maiores benefícios ambientais do que comprar carne ou laticínios sustentáveis”, segundo a declaração de Oxford sobre o estudo publicado na revista Science. Cientistas se juntaram para criar um banco de dados de cerca de 40.000 fazendas em 119 países para avaliar os impactos ambientais de 40 alimentos principais que representam 90% do que comemos.

Eles descobriram que carne e laticínios geram 60% das emissões de gases do efeito estufa oriundas da agricultura e ocupam 83% das terras agrícolas, mas oferecem apenas 37% de proteína e 18% de calorias. Sem o consumo de laticínios e carnes, o uso global de terras agrícolas poderia ser reduzido em mais de 75%.

Os cientistas descobriram a variabilidade na produção dos mesmos alimentos: por exemplo, produtores de carne de alto impacto que criam gado de corte em terras desflorestadas usam 50 vezes mais terra e criam 12 vezes mais gases de efeito estufa do que criadores de gado de baixo impacto que criam vacas em pastos naturais. Mas ainda há uma comparação nítida entre carne bovina e proteína vegetal como ervilhas: até mesmo carne de baixo impacto gera seis vezes mais gases de efeito estufa e usa 36 vezes mais terra.

Você pode pensar que a carne de gado alimentada com pasto tem baixo impacto ambiental, mas os pesquisadores descobriram que o impacto do produto ainda era maior do que a dos alimentos à base de plantas.

Especialistas em alimentos elogiaram o estudo.

Qual padrão de dieta seguimos não é pauta da Não de Queijo, mas o consumo sustentável deve ser um assunto a ser priorizado em meio aos danos naturais que temos presenciado até este século XXI.

 

Fonte: Meio Ambiente Rio.

Post a Comment